Home ÁREAS TEMÁTICAS Violência no Mundo Modelo Ecológico da Violência


Designed by:
Joomla Templates!

Modelo Ecológico da Violência PDF Versão para impressão Enviar por E-mail

 

Para a compreensão da causalidade da violência, o Modelo Ecológico da Violência defende que não há um factor único que explique as razões porque algumas pessoas se comportam de forma violenta em relação a outras, ou porque a violência ocorre com maior incidência em algumas comunidades comparativamente com outras.
A imagem abaixo exemplifica a forma como os diversos factores de inter-relacionam.

Modelo Ecológico da Violência, segundo a Organização Mundial de Saúde


O Nível Individual

Para além dos factores biológicos e demográficos, são tidos em consideração os outros factores tais como impulsividade, baixo rendimento escolar, abuso de substâncias [tóxicas] e histórico de agressão e abuso. Este nível, dá-nos indicação das características da pessoa, avaliando a possibilidade de ser uma vítima ou um perpetrador da violência.


O Nível Relacional

Este nível explora como as relações sociais próximas – por exemplo, relações com companheiros, parceiros íntimos e membros da família aumentam o risco para vitimização violenta e perpetração da violência.


O Nível Comunitário


Este nível analisa os contextos comunitários em que as relações estão inseridas - como escolas, locais de trabalho e vizinhança bem como as características desses contextos que podem estar associadas ao facto da pessoa ser vítima ou perpetrador da violência: mudanças frequentes de residência, falta de vínculos sociais, elevada densidade populacional, comunidades com problemáticas de tráfico de drogas, elevados níveis de desemprego ou grande isolamento social.


O Nível Social

Este nível inclui factores como:
• normas culturais que apoiam a violência como uma forma aceitável para solucionar conflitos, atitudes que consideram o suicídio como uma questão de escolha individual em vez de um ato de violência que pode ser evitado;
• normas que dão prioridade aos direitos dos pais sobre o bem-estar da criança;
• normas que reafirmam o domínio masculino sobre as mulheres e crianças;
• normas que validam o uso abusivo da força pela polícia contra os cidadãos;
• normas que apoiam os conflitos políticos.

Os factores sociais mais amplos incluem ainda as políticas de saúde, educacionais, económicas e sociais que mantêm elevados níveis de desigualdade económica e social entre os grupos na sociedade.


Vínculos complexos

Enquanto alguns factores de risco estão mais interligados a determinados tipos de violência, os vários tipos de violência normalmente compartilham alguns factores de risco.

As normas culturais predominantes, a pobreza, o isolamento social e factores como abuso de álcool, abuso de substâncias e acesso a armas de fogo são factores de risco ligados a mais de um tipo de violência. Como consequência, não é raro que algumas pessoas sob risco de violência vivenciem mais de que um tipo de violência. Também não é raro detectar vínculos entre diferentes tipos de violência.

As pesquisas têm mostrado que a exposição à violência doméstica está associada ao facto da pessoa ser uma vítima ou um perpetrador da violência na adolescência ou na fase adulta. A experiência de ser rejeitada, negligenciada ou de sofrer indiferença por parte dos pais, deixa a criança sob um risco maior de comportamento agressivo e anti-social, inclusive de comportamento abusivo quando adulto.

Foram encontradas associações entre o comportamento suicida e os diversos tipos de violência, inclusive maus-tratos à criança, violência praticada nas relações de intimidade, abuso sexual ou maus-tratos a idosos.

Os vínculos entre os tipos de violência e a interacção entre os factores individuais e os contextos sociais, culturais e económicos mais abrangentes indicam que lidar com os factores de risco nos diversos níveis do modelo ecológico pode contribuir para reduções em mais de um tipo de violência.


Níveis de Intervenção

Sendo um problema multifacetado, com raízes de natureza biológica, psicológica, sociais e ambiental, é necessário confrontá-la simultaneamente em diversos níveis de intervenção.

Neste sentido, o modelo ecológico serve a dois propósitos: cada nível do modelo representa um nível de risco e cada nível também pode ser encarado como um ponto principal para a intervenção.

 

Níveis de Intervenção da Violência



Para mais informações consulte (PDF em inglês):

Relatório Mundial (2002) da Organização Mundial de Saúde: World Report on Violence and Health: a Summary